Minha de(coração) de Natal

A

 Olá xentchy!

 Como foi o Natal de vocês? O meu foi ótimo, apesar de não ter sido tão animado. Ah, desculpem-me pela ausência e feliz Natal atrasado. O meu desejo vale para todos os dias: que Jesus renasça no coração de cada um.

 Esse ano, pela primeira vez, fiz uma decoração natalina no meu quarto. Todo ano montamos uma árvore pequena na sala e, dessa vez, montei uma no quarto também. Para completar, fiz minha própria mini árvore de livros. Como não tinha tantos livros assim, coloquei em cima de um criado mudo.

IMG_4612

IMG_4635

IMG_4640

IMG_4651

IMG_4645

IMG_4656

 Tentei deixar tudo o mais fofo possível: usei pisca-piscas, flores, laços e filós. Se pudesse, deixaria meu quarto assim o ano todo. E vocês, gostaram? Prepararam algo especial para o Natal?

#beijocomglitter

Bia Brandão.

Anúncios

Novidade: Click Fotografia

o - Cópia

Vim compartilhar minha alegria com vocês: estou trabalhando como fotógrafa! Há uns meses, disse que teria muitas novidades para o blog e outras pessoais, que faria questão de contar. Essa é uma das maiores, porque também vai facilitar meu trabalho aqui no She’s Fashionista. Desde junho ando fotografando casamentos, festas e afins, então, decidi que era hora de organizar minha vida e tornar isso uma profissão.

Ainda estou em processo de aprendizado (que, para mim,é eterno) e fazendo os últimos ajustes: site, telefone, embalagens e preços. O nome foi a parte mais fácil, porque sempre o tive em mente. Quero trazer fotografias inovadoras e criativas para a Região dos Lagos e, principalmente, para Arraial do Cabo, que está um pouco atrasado na minha opinião.

IMG_0187

IMG_2425

IMG_2385

IMG_0790

A coluna “Pra Resumir” surgiu graças ao Click Fotografia. Acompanhem a página no Facebook e o blog, que ainda estão em construção. Além de fotografia, também farei makes!

Quem quiser registrar momentos especiais comigo, é só entrar em contato: clickfotografia@outlook.com ou (22) 998-008-318.

PS: É só avisar que é leitor do She’s Fashionista, que ganha brinde!

#beijocomglitter

Bia Brandão.

Dia das Crianças

 

Acordei às dez, um pouco mais cedo do que acordaria num outro feriado qualquer. Não é que eu seja tão dorminhoca assim, eu durmo tarde, ainda mais quando a Mayra está aqui. Brincamos a madrugada toda e dormimos no pouco espaço que restou no meu quarto sem brinquedos espalhados. No fundo, já sabia o que ganharia da minha avó. Fui eu mesma que escolhi: boneca bebê. A surpresa sempre fica por conta da minha mãe, isso quando ela não se rasga por dentro de tanta ansiedade e me entrega o presente três dias antes.

Dessa vez, sei lá por que, ela conseguiu manter em segredo. Acho que nenhuma palavra descreveria minha alegria ao ganhar aquelas casas da Barbie. Todas de madeira e pintadas à mão pelos meus pais, de rosa e roxo. Ganhei Barbies e a Mayra também. Nossa primeira reação foi sair pela casa catando tapetes para forrar na sala e fazer nosso condomínio da Barbie. Varamos madrugadas. Odiava a hora de me despedir da minha melhor amiga. Era um “tchau” como se o próximo final de semana não existisse. Doía me separar a cada domingo dela. Mas na sexta, esquecíamos o mundo: existiam para nós apenas um quartinho cor de rosa e a infinidade de pessoas que podíamos ser em nossas brincadeiras. Infância, doce infância.

00

 

Ana Livia (prima-irmã) e eu, aos 4 anos

0

Eu (3) e Mayra, minha melhor amiga (6)

 Narrei, misturando os fatos de alguns anos, como era o meu Dia das Crianças. Escrever sobre isso e rever as fotos me trouxeram uma nostalgia que não sei se é boa ou ruim. A infância traz um misto de sentimentos e lembranças. O ruim é saber que essa fase acabou. Me lembro de até uns dez anos de idade, dizer: “eu não quero crescer”. Com o tempo, só percebi o quanto estava certa ao dizer isso. Não que eu não goste de ser adolescente, de ter amadurecido (até um pouco além da minha idade, inclusive). O que causa a dor não é o fato de ter crescido, e sim, perceber que hoje eu encaro o mundo de outra forma. Aquela doçura e inocência da infância, ainda tento conservar. Encarar que as outras pessoas é que perderam isso, me faz querer criar uma máquina do tempo.

 Cada um tem o seu tempo de crescer e de ser crescido. São coisas diferentes. Acho que agora estou passando pela tal crise de identidade que todos passaram ou passarão um dia. E isso é criar um elo entre o passado e o futuro. E, vou te dizer ó: dói.

 Feliz dia das crianças. Conserve isso! Crianças são sinceras, esperançosas, doces e inocentes. Falta de atitude tem outro nome. Por isso, não tenha vergonha de ter um espírito infantil. Até diria que, hoje em dia, isso é para poucos, mas na verdade, é para quase ninguém.

SF is back

large (14)

Venham aqui e me deem um abraço. Que saudade! Saudade é pouco, estou com saudadona (existe no meu dicionário, ok?). Dois meses sem postar e sei que mereço levar uma bronca. Sei também que, certamente, vocês devem estar querendo saber o motivo. A verdade é que, foi um conjunto de motivos que me levou a parar temporariamente de postar e quase desistir do blog.

Para começar, esse ano tomei a importante decisão de publicar meus textos particulares aqui. É óbvio que isso me rendeu mais acessos e, ao mesmo, tempo uma exposição extra da minha vida. Há os prós e contras da situação: enfim consegui demonstrar o que sinto, mas ao mesmo tempo abri esses sentimentos para pessoas demais, ou melhor, para qualquer pessoa que simplesmente clique no link.

A falta de tempo foi algo que colaborou muito e, em seguida, a neura “estou fora dos padrões”. Não sou rica para ter 9828383 roupas para montar 3 looks do dia e nem magra, para ficar legal com todas elas. Sim, isso pesou muito na hora de decidir: “excluo, faço uma pausa ou continuo com o blog?”.

Graças a Deus e à Bruna Vieira, resolvi manter o blog. Vi que, na verdade, essas “desvantagens” existiam apenas na minha cabeça. Logo depois, veio mais um problema: quero mudar o nome e layout. Confesso ter feito isso, minimamente, dez vezes enquanto não estava postando. Não gostei de nenhum e ainda não tenho dinheiro para investir num bom designer gráfico.

Resolvi, então, aceitar a mim e ao blog do jeito que somos. E continuar publicando meus textos dramáticos-rebeldes-fofinhos para expressar o que sinto. O mundo precisa de mais pessoas que transmitam emoção e menos pessoas que critiquem o que se passa dentro das outras. Boa sorte para mim, boa sorte para nós, conto, novamente e sempre, com cada uma de vocês. Obrigada! (E desculpem-me pelo tamanho do texto)

1 ano de She’s Fashionista

cropped-cropped-0000000000000000000000000000000000000000

 É, o tempo passa rápido! Há um ano atrás, numa entediante noite de sábado, eu resolvi criar um blog para falar sobre as tendências e famosas que se vestiam bem. Estava me sentindo sozinha e longe das minhas amigas, talvez essa fosse uma possível distração. Já criei-o imaginando que dois meses depois já teria enjoado de postar e deixaria-o de lado. Não criei expectativas quanto ao número de leitoras. Apenas queria ter um espaço meu, para compartilhar a minha opinião. O primeiro desafio foi escolher um nome. Pensei em vários, mas optei por “She’s Fashionista” (Ela é Fashionista, em português). Fiz um post me apresentando e depois comecei a falar sobre o que estava in e out. Com a divulgação nas redes sociais, acabei ganhando mais acessos que imaginava e tendo mais vontade de aprender e fazer moda.

hello

 Comecei a receber mensagens de meninas que não sabiam o que vestir numa determinada ocasião, elogios, críticas e a vontade de mostrar que moda não é apenas uma futilidade foi só crescendo! Com isso, surgiu algo que precisava não só no blog, mas também na minha vida: a coragem. Escrevia, me vestia e postava sem temer a opinião das outras pessoas. Aprendi a não me importar com os possíveis comentários que surgiriam. Prova disso é ter usado uma blusa de pijama nos Estados Unidos, porque estava frio e porque eu achava que combinava com os meus shorts. E não é que gostaram do look?!

DSCN0037

  Enfrentei a possibilidade de perder o público que já tinha no Blogspot, quando mudei de hospedagem, investi no domínio e hoje estamos aqui! Quero agradecer a Deus, em primeiro lugar, porque sem Ele nenhum sonho é possível. E depois, a minha mãe que fotografa meus looks, às leitoras fashionistas que me presentearam com milhares de acessos, às amigas que opinam e participam, a pessoas que se tornaram amigas através do blog. MUITO OBRIGADA! E que venham mais alguns anos de puro glamour e beijo com glitter!

Sweet 15- A decoração

Olá bonitos! 😉

 Como eu contei aqui, além de ter ganhado a viagem dos meus sonhos (para a Disney), eu fiz uma pequena festa para comemorar meus 15 anos com familiares e amigos. Diferente da maioria das debutantes, eu escolhi a decoração floral nas cores vermelha, laranja e amarela. Também não quis dama, usei 3 vestidos curtos e dancei com 4 amigos. Enfim, nada tradicional. Meus pais me fizeram uma surpresa: a valsa e as músicas da homenagem foram tocadas por um violinista, um tecladista e um saxofonista. Foi lindo!

 E como é muita coisa para mostrar, vou começar pela decoração.

IMG_8485

IMG_8486

Meu bolo foi bem clássico: todo branco com laços e flores

IMG_8491

IMG_8494

IMG_8619

Bicicletinhas com flores nas cores da festa

IMG_8499

Velas nos degraus ❤

IMG_9124

As velas eram um dos pontos principais da decoração

IMG_8503

IMG_8616

IMG_8617

IMG_8618

Um passarinho fora da gaiola

IMG_8613

IMG_8614

IMG_8615

IMG_8489

A lembrança foi um chinelo com o meu nome

IMG_8611

Os beijinhos foram enrolados com pérolas comestíveis

IMG_8609

IMG_8605

IMG_8488

 A minha festa não foi tradicional, mas prezei muito o clássico, como: bolo branco, velas e arranjos de flores.

O que acharam, meninas? Volto com mais posts sobre a minha festa!

#beijocomglitter

Bia Brandão.

Doce 15

IMG_3143

 Desde bem menina queria descobrir a sensação de virar moça. Falava dos meus 15 anos como se estivesse contando uma história de princesa. Passei anos tentando desvendar o que sentiria hoje e não consegui. Só agora, somente hoje, consegui decifrar o que isso significaria na minha vida.

 Percebi que o tempo passou. Isso se refletiu no espelho. Já não se vê uma menina de tranças. Vê-se agora uma garota, doce e feroz. Que pareça contraditório, eu não ligo! Esse é problema de tentar me descrever, acabo me limitando. E não gosto que me coloquem limites para ser. Pois se sou, sou. Não me escondo atrás de cortinas e nem  de imagem.

 O que sinto agora, não se descreve em palavras. Para tentar resumir: plenitude. E o conto de fadas que eu citei, me parece bem real. Sinto-me uma princesa! E não é pela idade em si, mas pelas circunstâncias que me tornaram eu. É hora de agradecer a Deus e a minha família, que fizeram de mim, tudo isso.

 E logo hoje, que queria encontrar a resposta para tudo que me questionei a vida inteira, não sei expressar e nem dimensionar a minha alegria. Fecha-se um ciclo para que outro se inicie. Que fique claro que o ponto que vem agora é linear, há muita história a ser escrita.